This awesome blogger theme comes under a Creative Commons license. They are free of charge to use as a theme for your blog and you can make changes to the templates to suit your needs.
RSS

Nova casa, novo ânimo

Pois é, meus caros amigos...eu ainda aqui ando.
Depois de 6 anos, 4 meses e 16 dias, decidi voltar à escrita, mas desta vez num espaço novo! Deixo para trás a minha tenra idade pintada no template e mantenho livres os textos que escrevi. Gosto de ler os ler e perceber a minha (i)maturidade na altura.

Visitem-me e talvez até me acompanhem!

0 Percepções
Ai saudade
Que me desespera
Ansiedade
No meu peito mora
Ai saudade
Sentida e sincera
Diz-me se ainda é verdade
Que pensas em mim
Quem me dera
Não ter a lembrança
Desses tempos
De tanta esperança
Primavera
Com pena suspensa
Diz-me que às vezes ainda
Te lembras de mim
Tenho um encontro marcado
Dentro do meu coração
Talvez me tenha esquecido
Que ele tem sempre razão
Tenho um tesouro escondido
Dentro do meu coração
Tenho lá escrito este fado
Quer eu queira, quer não
Ai saudade
Daquela viela
Na cidade
Da velha aguarela
Ai saudade
Guitarra e viola
Diz-me se ainda é verdade
Que gostas de mim
Quem me dera
Poder ser criança
E sem medo
Cumprir a sentença
Primavera
Da eterna mudança
Diz-me que às vezes ainda
Te lembras de mim
Tenho um encontro marcado
Dentro do meu coração
Talvez me tenha esquecido
Que ele tem sempre razão
Tenho um tesouro escondido
Dentro do meu coração
Tenho lá escrito este fado
Quer eu queira, quer não
Xaile
2 Percepções

Desafio

Fui desafiada recentemente pelo Sr.? =) ) e como não sou pessoa de recusar um bom desafio, lanço de seguida as respostas ao repto de que fui alvo…

O que é pedido no desafio é que enumeremos 6 aspectos (particulares, peculiares ou característicos) dos nomeados.

Vejo, não olho. Poderão pensar que ver e olhar não passam de sinónimos, palavras com exactamente o mesmo significado, apenas com grafismo diferente para não parecer que somos um daqueles apanhados que frequentemente aparecem no Youtube!! Mas não…eu gosto de Ver, porque ao ver, capto cada pormenor da paisagem, cada traço distinto do teu rosto que permanece em mim quando tenho os olhos fechados, não me escapam pequenas coisas como uma pequena flor na beira da estrada rodeada apenas por pedras e terra, ver permite perscrutar a essência das coisas, requer uma predisposição não só visual como psicológica, requer esforço, quiçá uma certa prática, mas acima de tudo, requer vontade. Já o olhar…esse é o que lançamos numa discoteca aquele rapaz, muito bem-parecido que até olha de volta, na esperança de bebermos um copo, é o que fazemos para nos certificarmos que não se avistam veículos antes de atravessar a estrada, é o que fazemos quando encontramos um sem abrigo numa qualquer esquina da cidade…Ver pode, por vezes, ser doloroso, mas consegue, também, ser algo indescritível, que provoca uma sensação agradável no nosso íntimo sem sabermos muito bem explicar como surgiu…Olhar é superficial, é banal.

O copo para mim está meio cheio. Têm um copo à vossa frente com água a preencher apenas metade do total do recipiente. O copo está, para vocês, meio cheio ou meio vazio? A minha resposta já sabem...gosto de acreditar que sou uma pessoa positiva, porque, para além de todas as situações – mesmo as mais cavernosas – terem sempre uma lição a aprender ou algo de bom para recordar, também vejo esta solução como uma forma mais “fácil” de encarar a vida. Se eu posso manter a esperança de que todas as pessoas têm em si uma parte boa, não vou cair na tentação e tomar todos por “maus, feios e porcos”! Este ponto, por acaso até vem de encontro ao ponto seguinte…

Gosto de sorrir. Poderá ser cliché, sorrir é o melhor remédio, mas eu prefiro este medicamente a drogas farmacêuticas em qualquer momento. Um sorriso verdadeiro, identifica-se facilmente, é aquele que nos consegue por a nós também num estado de graça. Não custa nada tentar sorrir, de vez em quando, porque alguém nos disse “olá”, porque tiramos boa nota num teste, porque hoje até está sol…Ontem dei por mim na rua sozinha, quando voltava da faculdade e ainda tinha um pequeno trajecto a percorrer a pé, a sorrir. O dia tinha corrido bem, trabalhamos em grupo e conseguimos atingir o objectivo pretendido, depois estava uma brisa no ar, não vento como é costume ultimamente, o sol estava naquele momento que parece ter os olhos semi-cerrados e eu sorria, falava também um pouco sozinha (falo já disso a seguir) e sorria :)
E vocês, já sorriram hoje?

Falo muito sozinha. Ou com os meus botões, como a minha mãe gosta de lhe chamar. OU então, o chamado pensar alto…gosto de o fazer!! Primeiramente, não tenho quem me interrompa, a não ser a minha consciência, depois posso as maiores bacoradas que ninguém me julgará…mas, não só isto, posso reflectir de forma mais clara sobre qualquer assunto, penso que a minha audição ajuda muito, perceber como soa aquilo que estou a dizer! Por outro lado, adoro criar discursos, sobe tudo e obre nada, imaginar como decorrerá uma conversa, imaginar os gestos que farão, como estão vestidas…se calhar isto é o sonhar acordado…se calhar não, porque nem sempre estes “episódios” decorrem como a argumentista (eu) os pensou! Aliado ao falar sozinha, vem o cantar, quando apenas eu pareço estar a ouvir…pareço porque já fui apanhada na rua a cantar e recebo uns olhares de censura, mas isso passa depois de uma breve cor avermelhada me surpreender as faces…Não sou nenhum Robinson Crusoe mas a minha necessidade de falar sozinha é diária, não porque não vivo em sociedade, podendo a qualquer momento fazê-lo com pessoas reais, mas porque isto é simplesmente uma coisa minha!

Gosto do ambiente. Não sou do partido “Os Verdes” (nem tenho nada contra, apenas referi como meio para atingir o meu objectivo), nem uma fervorosa ambientalista, faço apenas aquilo que cabe a qualquer bom cidadão, separo o lixo – porque “não é por mim, é por ela” (anúncio “Sociedade Ponto Verde”). Mas, antes de começar a divagar sobre outra coisa, retomemos o que me trouxe aqui!! Eu gosto do ambiente, em todas as suas formas…o mar, a brisa que o acompanha, as florestas, com toda uma vida a brotar lá dentro, o céu – com nuvens, todo azul, todo estrelado, com sol radioso ou uma lua cheia… - gosto de todas estas coisas que fazem parte da vida, gosto de me perder enquanto fito a lua, parece que esta exerce um poder sobre mim, imagino que os meus olhos brilhem como quando vejo fogo-de-artifício, gosto de ouvir os sons que a natureza produz…gosto de sentir o vento do Outono, que não é frio, apenas forte o suficiente para deitar toda e qualquer folha abaixo da árvore…

Sou como uma criança. Consigo mudar de humor com uma rapidez semelhante à velocidade da luz. Pequenas coisas, em momentos capitais, podem conseguir abater sobre mim os males do mundo e iniciar-se um pranto que só eu entendo, enquanto o seu oposto é também possível e pequenas coisas me fazerem sorrir, saltitar e dar abraços e beijinhos a quem estiver disposto a recebê-los…adoro festas populares, se estas acarretarem consigo carrosséis, pipocas e fogo de artificio (já mencionado), não consigo conter o riso e a vontade de experimentar tudo, dar várias voltas ao espaço e querer arrastar o grupo (ou os meus queridos papás) comigo. Se as crianças gostam de lambarices, eu exagero! Gelado, gomas, chocolate (a minha perdição), ocasionalmente um croissant chio de creme, são aquelas coisas que nem na mais rigorosa dieta podia sentir falta. Às vezes tenho uma postura tão “adulta” que ninguém se acreditaria neste meu lado infantil, mas eu sou assim uma panóplia de situações =)). Como qualquer criança tenho medos, não do escuro, essa fase passou há muito, mas de outra coisa que também ocorre nas crianças e cada vez mais nos adultos: a solidão. É algo que me assusta tremendamente, posso estar numa multidão e senti-la, ou estar em casa, quando todos dormem, e não conseguir afastar a sensação de vazio…há poucas coisas que gosto de fazer sozinha (para além do falar/cantar/sonhar/pensar), mas regra geral, gosto de me sentir acompanhada, sentir que mais alguém passa pela mesma experiência, alguém me compreende, alguém pode escrutinar o assunto comigo, ou por e simplesmente preciso que me agarrem a mão e mostrem que não estou só, que esta criança tem alguém para lhe dar colo…

Acho que acabei por e alongar um pouco mais do que estava à espera…tenho essa capacidade, devia tê-la mencionado, mas se no início parecia não conseguir encontrar 6 para falar, no fim já não sabia como escolher…
Mas o desafio continua, e eu passo a bola a…

- Saco de boxe
- O sol existe
- O mundinho da Torre
- Unbutton my soul 4 Percepções

Amostra sem valor

Eu sei que o meu desespero não interessa a ninguém.
Cada um tem o seu, pessoal e intransmissível:
com ele se entretém
e se julga intangível.
Eu sei que a Humanidade é mais gente do que eu,
sei que o Mundo é maior do que o bairro onde habito,
que o respirar de um só, mesmo que seja o meu,
não pesa num total que tende para infinito.
Eu sei que as dimensões impiedosas da Vida
ignoram todo o homem, dissolvem-no, e, contudo,
nesta insignificância, gratuita e desvalida,
Universo sou eu, com nebulosas e tudo.
Antonio Gediao
2 Percepções

Novo Blog

Bem, caríssimos visitantes assíduos (ou não) da minha complexidade, para quem não sabe eu embarquei recentemente num aventura chamada Erasmus, por terras Lituanas, mais precisamente na capital, Vilnius. Para desenvolver todas as peripécias que já vivemos até agora, e as muitas mais que espero estejam para surgir, criamos (eu e a minha companheira de viagem, Cindy) um super blog com actualizações o mais rápidas quanto nos for possível, porque por agora ainda temos algum tempo (porque ainda não vamos às aulas) mas daqui a uns dias, não se sabe =P

Deixo-vos o endereço do fantastico Blog para o poderem visitar e comentar muito =))



Ficamos à vossa espera,

Beijinho bom* 0 Percepções

Tempo

Salvador Dali
"O Tempo perguntou ao Tempo quanto tempo o tempo tem, e o Tempo respondeu ao Tempo que o tempo tem tanto tempo quanto o tempo que o tempo tem..."


Confusos?!

Afinal quanto tempo tem o Tempo??
A verdade é que o meu tempo escorre por entre os meus dedos com uma facilidade que não achava possível! Neste momento ele parece, aliás É, curto demais para tudo que que tenho e necessito fazer...queria, aliás necessitava desesperadamente, de me despedir convenientemente das minhas meninas (Di, Nádia, Rosinha, Katy), fazermos uma real jantarada e rir até cair para o chão; dizer um "até já" à Tuna, ser praxada até o sol raiar...; juntar a minha família e falar sobre tudo e sobre nada...; juntar mais um momentos com aquela pessoa especial para ajudarem a passar os moments difíceis e colocarem um sorriso na cara...; celebrar com a minha turma o nosso 3º ano...; receber abraços e "boa sorte, diverte-te muito" de todos os amigos do ISMAI...tudo isso era importante para mim conseguir encaixar na minha esburacada agenda...testes, trabalhos, exame, nem o fim de semana me é permitido usufruir...Isto não está nada fácil, mas como sempre, será aquilo que o meu Tempo e as minha capacidades permitirem =) nada mais.
Comecei eu tão bem a postar uma obra de arte, e termino a lamuriar-me, não há direito...lool
3 Percepções

Cocas in love

Vejam só o que a Nádia descobriu sobre mim LOL
Sou msm um Sapo romântico, enjoy the music ;-)

4 Percepções